EFE/EPA/GHULAMULLAH HABIBI
EFE/EPA/GHULAMULLAH HABIBI

Ataque a prisão no leste do Afeganistão deixa pelo menos três mortos

Depois de detonarem explosivos do lado de fora, homens armados teriam aberto fogo contra os guardas da penitenciária; Estado Islâmico assumiu autoria do ataque

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de agosto de 2020 | 16h13

Pelo menos três bombas explodiram em frente a um complexo penitenciário na cidade de Jalalabad, no leste do Afeganistão, neste domingo, 2. Fontes oficiais afirmam que pelo menos três mortes foram registradas.

Segundo autoridades locais, o ataque foi iniciado pela grande explosão de um carro bomba, seguida por pelo menos duas explosões menores do lado de fora de uma prisão administrada pelo governo. Os responsáveis teriam então aberto fogo contra os guardas no local. “Vários deles se posicionaram em um mercado próximo à prisão, o que complica a tarefa das forças de segurança", disse à AFP porta-voz do governador da província de Nangarhar, Attaullah Khogyani. 

O Ministério do Interior confirmou o ataque e garantiu que a polícia e as forças especiais fossem até o local. Dados preliminares do Ministério registram três mortes e ao menos cinco feridos. Outras autoridades locais contabilizam vinte pessoas feridas.

O ataque ocorreu no último dia de uma trégua entre os talibãs e o governo do Afeganistão, estabelecida por conta do feriado muçulmano do Eid al Adha. Os talibãs negam envolvimento. 

Posteriormente, a autoria do ataque foi reivindicada pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI), segundo a Amaq, agência de notícias utilizada pelo grupo. 

A província de Nangarhar, onde fica Jalalabad, é alvo frequente de ataques, vários deles reivindicados pelo Estado Islâmico. Em 12 de maio, um atentado creditado ao grupo em um funeral de um comandante da polícia deixou 32 mortos. /AFP e Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistão [Ásia]Estado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.