Ataque aéreo da Otan deixa 18 mortos no Afeganistão

Autoridades afegãs e moradores locais afirmaram que 18 pessoas, incluindo mulheres e crianças, foram mortas em um ataque aéreo da Otan no sudeste do país na quarta-feira. O caso ameaça elevar as tensões com os militares ocidentais, que se preparam para entregar o controle às forças locais.

REUTERS

06 de junho de 2012 | 16h02

Outros 20 civis morreram quando dois homens-bomba atacaram do lado de fora da base da Otan na cidade de Candahar, no sul do país.

Foi o ataque mais violento em semanas, desde que o Taliban lançou uma ofensiva.

Em outro evento, a Otan informou que um helicóptero caiu no leste do Afeganistão matando dois soldados. A organização disse que a causa do acidente está sendo investigada, mas o governador da província de Ghazni, Musa Akbarzada, afirmou que insurgentes do Taliban derrubaram um helicóptero. Os insurgentes também afirmaram que abateram a aeronave.

A violência aumentou no Afeganistão este verão (do hemisfério norte), com o Taliban prometendo alvejar o governo e as forças de segurança afegãs, assim como os 130 mil soldados estrangeiros no país. A maioria das tropas deve deixar o Afeganistão até o fim de 2014.

Tahir Khan Sabri,governador da província de Logar, que fica ao sul de Cabul, disse que 18 moradores de um vilarejo, em sua maioria mulheres e crianças reunidas para um casamento, foram mortos no ataque aéreo conduzido pelas forças da Otan na manhã de quarta-feira.

"Todos eles eram civis", afirmou, acrescentando que o presidente Hamid Karzai determinou uma investigação sobre as mortes.

A Força Internacional de Assistência à Segurança, liderada pela Otan, disse que averiguava os relatos de mortes civis em uma operação no distrito de Baraki Barak para capturar um comandante de alto escalão do Taliban.

Mais cedo, a coalizão confirmou a execução de um ataque aéreo no distrito, mas disse que os relatos iniciais da operação indicavam apenas que duas mulheres tinham sofrido ferimentos que não ameaçavam a sua vida e estavam sendo tratadas em uma instalação militar.

A organização afirmou que uma série de insurgentes foram mortos na operação conduzida com as forças afegãs.

Mas moradores revoltados disseram que não havia nenhum taliban nas duas casas destruídas pelo ataque aéreo.

Mais conteúdo sobre:
AFEGANISTAOCIVISMORREM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.