Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Yahya Arhab/Efe
Yahya Arhab/Efe

Ataque aéreo mata 2 líderes da Al-Qaeda no Iêmen

Militantes estavam planejando ações terroristas contra instalações vitais do país, segundo autoridades

Reuters,

14 de março de 2010 | 19h50

Um ataque aéreo em uma área do Iêmen controlada pela Al-Qaeda matou dois líderes da organização terrorista neste domingo, 14, informou um oficial de segurança iemenita.

 

Veja também:

linkDo Iêmen, Al-Qaeda ameaça região

especialEspecial: As franquias da Al-Qaeda

linkEntrevista: Iêmen é terreno fértil para radicalismo, diz diplomata da ONU

 

"Os ataques (...) mataram dois elementos de liderança da Al-Qaeda, que estavam planejando ações terroristas contra instalações vitais no Iêmen", disse o oficial em um comunicado.

 

O Iêmen aumentou a segurança em fontes de gás e petróleo depois de declarar guerra à Al-Qaeda, após o ramo iemenita da rede terrorista ter assumido a responsabilidade de um atentado falido para explodir um voo com destino a Detroit no Natal.

 

Aliados ocidentais do país e a vizinha Arábia Saudita, o maior exportador de petróleo do mundo, temem que a Al-Qaeda esteja explorando a instabilidade do Iêmen para recrutar e treinar militantes para ataques dentro e fora da região.

 

Um comunicado do partido governista iemenita em sua página na internet afirmou que "esta área (em Abyan) tem visto um aumento considerável nas atividades da Al-Qaeda, o que foi monitorado por serviços de segurança".

 

Habitantes do local, contudo, afirmaram que mais de 20 civis, incluindo mulheres e crianças, foram mortos em um ataque aéreo em 17 de dezembro no qual autoridades iemenitas reportaram 30 mortes de membros da Al-Qaeda.

 

Em março, o governo expressou arrependimento pelas baixas civis no ataque, e disse que iria compensar os familiares das vítimas mortas.

 

A franquia da Al-Qaeda no Iêmen afirmou que a tentativa de explosão de um voo no Natal foi uma represália ao ataque de 17 de dezembro, pelo qual os Estados Unidos foram responsabilizados, segundo o grupo radical islâmico.

 

Separadamente, os terroristas afirmaram em um comunicado na Internet que um militante saudita - que estava arrecadando fundos em seu país para a Al-Qaeda no Iêmen, Iraque e Afeganistão - foi morto em um enfrentamento contra forças do governo no sul do Iêmen.

 

Notícia atualizada às 20h42 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
Al-QaedaIêmenterrorismolíderes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.