Ataque de forças de Kadafi a refinaria em Misrata prejudica rebeldes

Tropas do governo querem impedir que rebelião chegue a Zlitan, próxima à capital

REUTERS

14 de junho de 2011 | 09h23

MISRATA - Os rebeldes líbios estão enfrentando novos obstáculos em sua campanha em direção à capital, Trípoli, depois que bombardeios das forças do líder do país, Muamar Kadafi, danificaram uma refinaria de petróleo em Misrata, que está sob controle deles, o que prejudicou as linhas de suprimento do produto.

 

Veja também:

especialLinha do Tempo: 40 anos da ditadura na Líbia

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

especialEspecial: Os quatro atos da crise na Líbia

 

Um fotógrafo da Reuters em Misrata se uniu às unidades rebeldes em seu avanço por vários quilômetros para oeste, na segunda-feira, na periferia da cidade de Zlitan, que está sob controle das forças de Kadafi.

Qualquer confronto pelo controle de Zlitan levaria a rebelião para mais perto de Trípoli, a base de poder de Kadafi, situada 200 quilômetros a oeste de Misrata, terceira maior cidade da Líbia.

Um médico de um hospital de campanha no oeste de Misrata disse que dois rebeldes tinham sido mortos e mais de dez ficaram feridos depois de pesada troca de tiros entre as duas partes.

Os insurgentes de Misrata dizem que delicadas questões tribais os impedem de atacar Zitan, e por isso aguardam que os habitantes locais iniciem um levante contra o governo.

Na noite de segunda-feira, seis foguetes atingiram geradores da refinaria perto do porto de Misrata, causando danos parciais. Um engenheiro disse que não dá para prever quanto tempo levará para efetuar os reparos.

Ataques da Otan

A Otan informou ter nesta terça-feira bombardeado um veículo militar com armas antiaéreas e lançadores de foguetes, entre outras, a leste de Trípoli. Também foram atingidos alvos militares em Misrata na segunda-feira à noite, segundo a Otan.

"Esse tipo de equipamento vem sendo usado indiscriminadamente para atacar a população civil em toda a Líbia", disse o comandante da missão da Otan, general Charles Bouchard, acrescentando que essas operações da aliança atlântica prosseguirão.

Os confrontos a leste de Trípoli tiveram início durante uma aparente pausa nos bombardeios da Otan contra a capital Líbia, que prosseguiu nesta terça-feira, embora a TV da Líbia tenha informado que houve ataques em Al Jufrah, no centro do país.

Os chefes de defesa da Otan vão se encontrar em Belgrado, nesta terça-feira, para analisar a operação na Líbia, depois que o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, acusou alguns aliados europeus de não estarem se empenhando na missão. Gates tema que a operação na Líbia possa perder a força.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAREBELDESREFINARIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.