Ataque de mulher-bomba mata oito no Iraque

Pelo menos sete pessoas são feridas em atentado contra mercado movimentado em cidade xiita

Efe, REUTERS

16 de janeiro de 2008 | 07h46

Uma mulher-bomba matou nesta quarta-feira, 16, oito pessoas em um ataque a um movimentado mercado na cidade iraquiana de Khan Bani Saad, majoritariamente xiita. Outras sete pessoas ficaram feridas no atentado na pequena cidade da Província de Diyala.   Segundo as fontes, o atentado aconteceu às 9h (4h de Brasília), em plena hora do rush. O mercado estava muito movimentado no momento da explosão, e o número de vítimas pode aumentar. Os feridos, a maioria em estado grave, foram levados a hospitais.   O atentado coincide com uma operação em grande escala de tropas iraquianas e americanas na mesma província, que aumentaram a pressão sobre os grupos vinculados à Al-Qaeda. Na segunda-feira, os militares informaram que 60 militantes foram mortos na última semana.   Ataques suicidas realizados por mulheres são relativamente raros no Iraque. No dia 2, uma mulher-bomba matou 10 pessoas em Baquba.   Outras duas pessoas, entre elas um universitário, morreram nesta quarta-feira, 16, no bairro de Bab al-Muazam, no centro de Bagdá, quando uma bomba fizesse explodiu junto a um grupo de estudantes que iam para suas aulas. No mesmo atentado, mais 10 civis foram feridos. Outra explosão em Nahrawan, a sudeste de Bagdá, matou mais uma pessoa e feriu cinco.  

Tudo o que sabemos sobre:
Iraquemulher-bomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.