Ataque deixa 14 mortos em vilarejo no Iraque

Incidente acontece no dia em que dados mostram redução no número de civis mortos desde fevereiro de 2006

BBC Brasil,

01 de dezembro de 2007 | 11h11

Pelo menos 14 civis xiitas foram mortos em um ataque de militantes da Al-Qaeda a um vilarejo iraquiano neste sábado, informaram as autoridades locais. Segundo os moradores, cerca de 60 militantes armados atacaram Duwailiya, a 18 km de Baquba, pouco depois de o dia amanhecer. Quatro mulheres e três crianças estão entre as vítimas. Quatro militantes foram mortos depois que a população local reagiu e dez casas foram destruídas no ataque. Pelo menos oito pessoas ficaram feridas, segundo os moradores. Este é o segundo ataque da Al-Qaeda ao vilarejo nos últimos meses. Em julho, 25 pessoas foram amarradas e mortas a tiros por militantes ligados à rede, durante um ataque semelhante. Neste sábado, o vilarejo foi bombardeado por uma salva de morteiros antes de os militantes abrirem fogo.  Queda O ataque ocorreu no momento em que dados sugerem que o número de iraquianos mortos em tiroteios e atentados no país está diminuindo. Os dados coletados pelos Ministérios iraquianos do Interior, Defesa e Saúde, mostram que 606 pessoas foram mortas em Novembro, 887 em Outubro e 840 em Setembro, segundo a agência de notícias AFP. Se os números forem confirmados, novembro terá sido o mês com menor número de mortos desde fevereiro de 2006, quando um ataque contra um santuário xiita em Samarra detonou uma onda de violência sectária que provocou a morte de milhares de pessoas. O aumento das tropas americanas e iraquianas em Bagdá e nos arredores e a cooperação americana com os grupos armados sunitas podem ter contribuído para a queda. A suspensão das operações da milícia Exército de Mehdi, do clérigo radical Moqtada al-Sadr e a rejeição da Al-Qaeda por algumas tribos árabes sunitas também são apontadas como fatores para a redução.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.