Ataque suicida deixa 15 mortos e 40 feridos no Iraque

Uma mulher detonou um cinto de explosivos que levava junto ao corpo na cidade iraquiana de Baquba

Efe

22 de junho de 2008 | 09h19

 Uma mulher detonou um cinto de explosivos que levava junto ao corpo e matou pelo menos 15 pessoas e deixou mais 40 feridos na cidade iraquiana de Baquba e pelo menos outras três morreram em Kirkuk após a explosão de uma bomba colocada debaixo de seu carro, informaram fontes policiais à Agência Efe.Segundo as fontes, a suicida detonou os explosivos na entrada da sede do Governo da província de Diyala, em um local no qual um grande número de veículos da Polícia estava estacionado.Muitas das vítimas do atentado são agentes que trabalham na segurança do complexo governamental, que é alvo freqüente de ataques da insurgência sunita."A apuração é preliminar e o número de vítimas pode ser muito maior", declarou à Efe um porta-voz policial que pediu não ser identificado.Um grande número de ambulâncias seguiu para o local com o intuito de socorrer os feridos.O atentado de hoje é 14º ataque suicida cometido por uma mulher em Diyala nos últimos meses.Quase todas elas foram recrutadas pela rede terrorista da Al Qaeda no Iraque.A província de Diyala, próxima da fronteira com o Irã, reúne árabes, xiitas e curdos e é um dos principais bastiões de grupos insurgentes apesar de uma operação em grande escala contra eles nos últimos meses. Por outro lado, pelo menos três pessoas morreram hoje, entre elas duas mulheres, e outras duas ficaram feridas após a explosão de uma bomba colocado debaixo de seu carro nas proximidades da cidade de Kirkuk, norte do Iraque, informou um porta-voz policial.Sarhad Kader, porta-voz da Polícia em Kirkuk, afirmou que o ataque aconteceu no povoado de Rashad, a 30 quilômetros de Kirkuk.No entanto, Kader não explicou a razão de este carro ter sido alvo da explosão, embora tenha revelado que é o segundo incidente em Kirkuk ou nos seus arredores nas últimas horas.Uma explosão similar aconteceu horas antes nas proximidades da sede do Crescente Vermelho nesta rica cidade petrolífera, o que causou grandes prejuízos materiais, mas nenhum de ordem pessoal.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.