Ataque suicida mata mulher em Israel

Um homem-bomba palestinorealizou o primeiro ataque suicida em um ano em Israel, nestasegunda-feira, matando uma mulher na cidade de Dimona, ondeestá localizado um reator nuclear supersecreto, disseramserviços de emergência do país. A polícia disse matou a tiros um cúmplice dele, evitandouma outra explosão no shopping center da cidade. "Parecia uma guerra. As pessoas corriam como loucas", dissea testemunha Rosa Enberg a uma TV israelense O atentado suicida ocorrido em Dimona, uma cidade dodeserto onde está localizado um reator nuclear supersecreto,foi o primeiro dentro de Israel no período de um ano. Um membro da facção palestina Fatah disse que o Exércitodos Palestinos, um braço das Brigadas de Mártires de al-Aqsa,ligadas à Fatah, realizou o ataque junto com a Frente Popularpara a Libertação da Palestina (FPLP). Dois grupos de militantes palestinos, o Hamas e a JihadIslâmica, elogiaram a ação, descrita por eles como um golpecontra a "ocupação israelense." Segundo a polícia, o homem-bomba detonou os explosivos nocentro comercial de Dimona, de manhã, matando a si próprio euma israelense. Yossi Porianta, chefe de polícia da região de Negev (sul deIsrael), disse que um segundo agressor foi alvejado na cabeçapor policiais antes de conseguir detonar seus explosivos. Outras dez pessoas ficaram feridas no incidente. A explosão gerou especulações em Israel sobre apossibilidade de um militante palestino da Faixa de Gaza ter seinfiltrado vindo do Egito depois de o Hamas haver aberto afronteira, em Rafah, no final do mês passado, entre oterritório e o país árabe. O Egito já fechou a fronteira. "O que estamos vendo hoje pode ter sido o resultado diretoda anarquia que vimos na fronteira da Faixa de Gaza, na semanapassada. Mas não temos certeza disso ainda", afirmou um membrodo governo israelense. O ataque aconteceu várias semanas depois de Israel e ospalestinos terem retomado negociações de paz às quais se opõe oHamas, que controla a Faixa de Gaza. Horas depois do ataque suicida, um ataque aéreo de Israelna Faixa de gaza deixou gravemente ferido um dos chefes dogrupo militante palestino. Desde 29 de janeiro de 2007, o território israelense nãoregistrava a ação de um homem-bomba. Naquele dia, um atentadoocorrido em Eilat matou três israelenses. (Reportagem adicional de Dan Williams e Adam Entous)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.