(Photo by Amer ALHAMWE / AFP)
(Photo by Amer ALHAMWE / AFP)

Ataques aéreos deixam pelo menos 29 mortos na Síria

De acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos, bombardeios reivindicados por um grupo favorável ao presidente Bashar Al-Assad provocaram pânico em cidades do país do Oriente Médio

O Estado de S.Paulo

11 Agosto 2018 | 11h39

Bombardeios contra várias localidades controladas por rebeldes nas províncias de Aleppo e Idlib, no norte da Síria, deixaram pelo menos 29 mortos nesta sexta-feira, 10, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A organização afirmou que crianças estão entre as vítimas dos ataque aéreos contra a cidade de Orm al Kubra, no oeste de Aleppo. O ato terrorista também deixou "dezenas de feridos", segundo o Observatório.

Aviões e helicópteros das tropas leais ao presidente Bashar Al-Assad bombardearam várias localidades no sul da província de Idlib, matando pelo menos oito civis e 45 ficaram feridos.

Os bombardeios atingiram Khan Sheikhoun e Al Tah, e o número de mortos pode subir porque há pessoas gravemente feridas. No fim de julho, Assad afirmou que a libertação de Idlib, último refúgio da oposição no país, é uma prioridade para o governo. "Atualmente Idlib é nosso objetivo, mas não o único", disse o presidente em entrevista à imprensa russa.

O Exército da Síria e seus aliados conseguiram nas últimas semanas tomar em definitivo o sudoeste do país, onde ainda operavam integrantes do Estado Islâmico. O governo também mantém uma campanha na província de Sweida para expulsar os elementos do grupo terrorista que seguem na região. / EFE e Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.