Ataques aéreos dos EUA matam 13 em batalha no Iraque

Aeronaves e atiradores do Exército dosEstados Unidos mataram 13 homens armados ao norte de Bagdá nasexta-feira durante um combate, que começou quando os soldadosse aproximaram para capturar o líder de uma célula da Al Qaeda,disseram as Forças Armadas dos EUA. Os Estados Unidos anunciaram esta semana o início de umagrande ofensiva contra milícias xiitas e da Al Qaeda,antecipando um possível recrudescimento nos ataques antes dadivulgação do esperado relatório sobre a situação do Iraque aoCongresso norte-americano, em setembro. Na sexta-feira, a ofensiva aconteceu ao leste da cidade deTramiya, tendo como alvo um líder da Al Qaeda que "dáorientação a importantes líderes terroristas". As tropas foram alvo de vários tiros, disparados do alto deconstruções, e pediram o apoio de ataques aéreos, que obrigaramquatro pessoas armadas a deixar seus esconderijos, entre elasuma mulher que vestia uma máscara de esqui. Elas então forammortas pelas forças dos EUA, segundo os militares. Outros novemilitantes morreram nos combates. "Apesar dos apelos das forças de coalizão para que osterroristas retirassem as mulheres e crianças e deixá-las asalvo, um menino foi morto numa casa com um terrorista armadoque enfrentou as forças terrestres", disse uma nota das ForçasArmadas. Um dia antes, forças dos EUA em Tarmiya haviam atacado umamesquita sunita na cidade, depois da morte de um soldado numataque contra o posto de combate. Mais de 3.700 soldados jámorreram desde que os EUA invadiram o Iraque, em 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.