Emad Matti/AP
Emad Matti/AP

Ataques ao redor do Iraque deixam ao menos 60 mortos

O dia é um dos mais sangrentos desde que os EUA retiraram tropas do país, em dezembro

REUTERS

23 de fevereiro de 2012 | 07h18

Texto atualizado às 18h44.

 

BAGDÁ - Pelo menos 60 pessoas foram mortas em uma onda de ataques coordenador ao redor do Iraque nesta quinta-feira, 23, informaram fontes hospitalares e da polícia.  As autoridades iraquianas responsabilizaram a rede terrorista Al Qaeda pelos incidentes.

Os ataques, alguns deles a bomba, foram realizados no início da manhã e conduzidos em sua maioria contra alvos xiitas em Bagdá e em diversas outras cidades do país.

 

Com os ataques, esta quinta-feira passa a ser um dos mais sangrentos dias no país desde que os EUA retiraram suas tropas, em meados de dezembro do ano passado.

 

 Segundo fontes policiais, o atentado mais sangrento aconteceu no distrito de Al Kazimiya, em Bagdá, onde pelo menos seis pessoas morreram e outras 15 ficaram feridas pela detonação de um veículo carregado com explosivos próximo a um restaurante.

 

No centro da capital, em Al Sarafiya, seis pessoas, a maioria policiais, morreram e outras três sofreram ferimentos pelos disparos de um grupo armado que atacou um posto de controle.

 

Nos distritos de Al Saidiya, Mansur, Al Madaem e Karrada foram registrados diferentes ataques que causaram pelo menos oito mortos e 39 feridos.

 

Na província de Salaheddin, ao norte da capital, a maioria dos atentados foi dirigida contra edifícios governamentais, assim como contra a sede da União Patriótica do Curdistão, o partido do presidente iraquiano, Jalal Talabani.

 

Desses ataques, o mais grave foi registrado no bairro de Balad, onde cinco pessoas morreram e 25 ficaram feridas.

 

Na província de Diyala, próxima também a Bagdá, sete pessoas morreram e outras 36 ficaram feridas pela explosão de um carro-bomba e vários artefatos em distintas localidades, entre elas a capital Baqubah.

 

Com agências de notícias.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEATAQUESCINQUENTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.