Ataques matam 19 no Afeganistão

Cviis e guardas estão entre vítimas; atentado a centro da Polícia deixa 3 soldados da Otan mortos

Efe

14 de julho de 2010 | 08h43

CABUL - Diferentes ataques no Afeganistão deixaram pelos menos 19 mortos, sendo 3 soldados da OTAN, 2 guardas afegãos e 14 civis, de acordo com informações liberadas nestas quarta-feira, 14, por autoridades.

 

Veja também:

especialEspecial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão

 

Três soldados das forças da OTAN e cinco civis morreram durante ataque taleban contra um centro da Polícia afegã na cidade de Kandahar, sul do Afeganistão, informou nesta quarta-feira a organização militar internacional em um comunicado.

 

O ataque foi realizado na terça por um grupo de insurgentes contra o recinto policial da Polícia Nacional Afegã da Ordem Civil (ANCOP) com um carro carregado de explosivos, armas curtas, lança-granadas e metralhadoras.

 

Segundo a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), coordenada pela OTAN, suas tropas e a Polícia impediram que os agressores entrassem no recinto e, depois, foram definitivamente contidos com a chegada de novos reforços militares.

 

"Três membros da Isaf e cinco trabalhadores civis morreram no ataque. A Isaf mantém a política de deixar os procedimentos de identificação das vítimas em mãos das autoridades nacionais pertinentes", indicou a organização.

 

Os taleban assumiram a autoria do ataque em comunicado divulgado em seu site, e reivindicaram a morte de 40 soldados afegãos e da Otan.

 

Segundo os taleban, a ação foi realizada por cinco insurgentes: dois deles morreram na detonação dos explosivos que levavam, enquanto os outros três conseguiram escapar após o ataque.

 

A ANCOP é uma seção da Polícia afegã que se encarrega de preservar a ordem civil em núcleos urbanos, e conta com brigadas em Cabul, Paktya, Kandahar e Herat.

 

Segundo a Isaf, esta é a terceira vez nos últimos três dias que tropas afegãs e internacionais enfrentam ataques dos insurgentes taleban.

 

Na segunda-feira, o Exército afegão matou vários insurgentes após um ataque contra o funeral do fiscal do distrito de Jwajai Omari, Mohammed Riza, que tinha sido assassinado pelos taleban dias antes na província de Ghazni.

 

E, segundo relatou a Isaf, as tropas afegãs repeliram na terça-feira um ataque dos taleban contra a localidade de Aalai Shahea, na mesma província, no sudeste afegão.

 

Explosões

 

Pelo menos outros nove civis e dois guardas morreram vítimas de diferentes explosões no Afeganistão, informou hoje o Ministério do Interior afegão em comunicado.

 

O fato mais grave aconteceu nesta terça-feira, no distrito de Marjah, situado na conflituosa província de Helmand, no sul do país, onde nove civis morreram e outros três ficaram feridos pela explosão de uma bomba, segundo o ministério.

 

Em comunicado, a Força Internacional de Assistência para Segurança (Isaf, na sigla em inglês) afirmou que a explosão ocorreu no distrito de Nad Ali, demarcação à qual pertencia Marjah até que o Governo afegão decidiu dividi-la em dois.

 

Segundo a Isaf, oito civis morreram e outros quatro ficaram feridos na explosão, enquanto uma criança de quatro anos também faleceu ontem, no mesmo distrito, depois da explosão de outra bomba.

 

A Isaf informou que os feridos foram levados a uma instalação militar afegã próxima para receber tratamento médico.

 

Os dois guardas também morreram ontem, vítimas da explosão de uma bomba na passagem de seu veículo no distrito de Yousuf Kehl, na província de Paktika, no sudeste do país, segundo o ministério do Interior, que afirmou que outros dois guardas ficaram feridos.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãotalebanataquesOTANIsaf

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.