Ataques suicidas matam quatro policiais no Afeganistão

Dois homens-bomba vestidos como policiais mataram quatro oficiais de polícia em um ataque realizado contra um centro de treinamento neste sábado, segundo autoridades afegãs. Foi o segundo embate na volátil região leste do Afeganistão em poucas horas.

REUTERS

27 de novembro de 2010 | 13h33

Durante a noite, forças afegãs e da Otan mataram mais de 15 insurgentes, após terem sido recebidas a tiros quando se aproximavam de um quartel-general na província de Nangarhar.

A violência no Afeganistão vive seu pior momento desde a derrubada da milícia Talebã, por forças afegãs apoiadas pelos Estados Unidos, no final de 2001.

O número de militares e civis feridos atingiu níveis recordes, mesmo com a presença de cerca de 150 mil soldados estrangeiros.

A retomada dos ataques ocorreu pouco antes de uma reunião de líderes da Otan em Portugal, onde autoridades dos EUA e do bloco concordaram em cumprir o prazo dado pelo presidente afegão, Hamid Karzai, de suspender as operações de combate comandadas por estrangeiros até o final de 2014.

Na capital da província Paktia, Sharan, insurgentes do Talebã disfarçados com uniformes de policiais atacaram um centro de treinamento da polícia, segundo uma autoridade local.

Dois dos responsáveis pelos ataques detonaram coletes embalados com explosivos que vestiam, matando quatro policiais. Várias outras pessoas acabaram feridas, inclusive o chefe de polícia, disse o oficial, que pediu para não ser identificado.

(Reportagem de Hamid Shalizi)

Tudo o que sabemos sobre:
AFEGANISTAOATAQUESUICIDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.