Atentado a seminário em Jerusalém foi o pior dos últimos 2 anos

Pelo menos oito morreram e 10 ficaram feridos quando um homem entrou atirando num seminário rabínico

Reuters,

06 de março de 2008 | 19h43

O ataque desta quinta-feira, 6, a um seminário rabínico em Jerusalém, foi o pior atentado em Israel desde o incidente de 17 de abril de 2006. Na ocasião, o ataque de um homem bomba deixou 11 mortos e outros 60 feridos durante o feriado do Pessach - a Páscoa judaica - em Tel Aviv.   Veja também: Tiroteio em seminário rabínico deixa 8 mortos em Jerusalém Grupo desconhecido reivindica atentado em Jerusalém   No incidente desta quinta-feira, um homem armado invadiu a sala de jantar do seminário e começou a atirar, deixando pelo menos oito mortos e dez feridos.   No local, cerca de 80 pessoas estavam reunidas para uma cerimônia, prestes a começar, quando o homem abriu fogo. Segundo o site do jornal Jerusalem Post, antes de ser morto ele disparou entre 500 a 600 balas num período entre quatro e 10 minutos.   Apesar da posição da polícia israelense, testemunhas disseram que dois agressores invadiram o local.  

Tudo o que sabemos sobre:
JerusalématentadoIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.