Atentado contra ministro iraquiano mata 13 em Bagdá

Ministro do Trabalho saiu ileso do ataque com carro-bomba; outras 20 pessoas foram feridas no incidente

Agências internacionais,

23 de outubro de 2008 | 09h09

Um carro-bomba que tinha como alvo um ministro iraquiano matou pelo menos 13 pessoas e feriu mais de 20 na manhã desta quinta-feira, 23, em Bagdá, afirmaram funcionários locais. O político, o ministro do Trabalho e Assuntos Sociais, Mahmoud Mohammed al-Radhi, escapou ileso.   O atentado demonstrou mais uma vez os desafios ainda a enfrentar pelos iraquianos, apesar da forte queda na violência ao longo do último ano. Os militantes freqüentemente planejam ataques contra funcionários do governo.   Um xiita, Al-Radhi escapou ileso segundo seu porta-voz, porém três de seus guarda-costas foram mortos. Além deles, pelo menos 10 civis morreram e 21 pessoas ficaram feridas, de acordo com policiais e funcionários do setor de saúde.   Um cinegrafista da Reuters filmou a explosão, mas um soldado iraquiano confiscou as imagens. O cinegrafista, que estava a cerca de 150 metros de distância, viu um carro ser jogado sobre um comboio de seis ou sete veículos oficiais e explodir, formando uma bola de fogo perto da praça de Tahrir, no centro de Bagdá. Os policiais e os guarda-costas no comboio abriram fogo depois da explosão. Vários veículos bateram e outros fugiram em alta velocidade.   A violência no Iraque despencou no último ano, registrando um recorde de baixa em quatro anos, mas os militantes ainda estão empreendendo ataques com homens e carros-bomba. Este tipo de tática é marca registrada dos militantes sunitas da Al-Qaeda.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.