Atentado contra ônibus mata 13 pessoas no Afeganistão

Entre os mortos, há quatro crianças e oito policiais; pelo menos dez foram feridos durante o ataque

Efe e Associated Press,

02 de outubro de 2007 | 03h09

Pelo menos 13 pessoas, entre elas quatro crianças, morreram e outras dez ficaram feridas em um ataque suicida contra um ônibus da polícia em Cabul nesta terça-feira, 2. Este é o segundo atentado destas características na capital afegã em quatro dias, segundo informou uma fonte oficial.   A explosão matou oito policiais, uma mãe e seus dois filhos que tinham acabado de embarcar no veículo e outras duas crianças, segundo o ministro da Saúde do país, Mohammad Amin Fatemi. As crianças tinham entre 2 e 8 anos de idade.   Segundo a BBC, um porta-voz do Ministério do Interior disse que o número de vítimas pode ser maior. O homem-bomba tentou embarcar no ônibus em uma das paradas, mas policiais que sentavam em um banco da frente suspeitaram de seu "comportamento estranho" e impediram que ele entrasse no veículo.   Ao comentar o atentado desta terça-feira, o presidente afegão, Hamid Karzai, disse que gostaria de perguntar aos líderes insurgentes por que eles estão tentando destruir o país.   O atentado aconteceu apenas quatro dias depois que 30 pessoas morreram em Cabul em outro ataque suicida contra um ônibus do Exército.   Na ocasião, o terrorista subiu no veículo vestido com um uniforme militar e detonou sua carga explosiva, o que causou a morte de 28 soldados e dois civis, enquanto outras 29 pessoas ficaram feridas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.