Atentado suicida mata agente de segurança em Beirute e fere outras 19 pessoas

Um homem explodiu seu carro em Beirute na noite de segunda-feira perto de um posto de controle do Exército, matando um segurança e ferindo várias pessoas que assistiam a uma partida da Copa do Mundo em um café nas imediações.

LAILA BASSAM, REUTERS

24 de junho de 2014 | 10h03

As forças de segurança do país estão em alerta desde que outro atentado suicida causou a morte de uma pessoa e deixou 37 feridas perto da fronteira síria na sexta-feira, em um ataque que por pouco não atingiu o general Abbas Ibrahim, chefe do Departamento de Segurança Geral do Líbano.

Uma fonte do setor de segurança disse antes da explosão na segunda à noite que as forças libanesas estavam empreendendo uma caçada a dois potenciais atacantes suicidas na capital.

O Líbano tem sido alvo de uma onda de violência sectária ligada à guerra na Síria, onde ocorre uma insurgência sunita, como no Iraque. Os militantes sunitas, incluindo o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL), estão avançando no norte e oeste do Iraque em direção à capital, Bagdá, num combate contra o governo liderado pelos xiitas.

"O que está acontecendo no Iraque não está distante do que está acontecendo no Líbano, mas o Líbano não vai deixar o EIIL se espalhar aqui", disse o deputado Ali Ammar, do grupo político e militante xiita Hezbollah, à televisão Al-Manar.

A explosão de segunda-feira, pouco antes da meia-noite local (18h em Brasília), matou o próprio atacante e feriu 19 pessoas, informou a força civil de defesa do Líbano. Um funcionário do setor de emergências do hospital Sahel, nas imediações, disse ter atendido 11 pessoas levemente feridas.

Duas fontes das forças de segurança afirmaram que um integrante de seus serviços também tinha sido morto quando as bombas que estavam no carro, um Mercedes com 25 quilos de explosivos, foram detonadas.

Segundo a agência estatal de notícias do Líbano, o agente morto era Abdul Kareem Hodrej, das forças gerais de segurança do país.

Mais conteúdo sobre:
LIBANOATENTADOBEIRUTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.