Atentados contra peregrinos xiitas deixam 32 mortos em Bagdá

Trinta e duas pessoas foram mortas em três ataques contra peregrinos muçulmanos que caminhavam em Bagdá na noite desta quinta-feira (horário local), antes de um grande feriado religioso, disseram a polícia e fontes médicas.

Reuters

22 Maio 2014 | 14h38

Os responsáveis pelo ataque contornaram grandes bloqueios de estrada armados para garantir a segurança dos fiéis religiosos xiitas que se dirigiam para o santuário imã Kadim, em Kadhimiya, no oeste de Bagdá, para relembrar a morte de um santo xiita no ano de 799.

O pior ataque ocorreu no leste de Bagdá, perto da praça Tayaran, onde um micro-ônibus se aproximou de uma multidão de peregrinos e explodiu, matando 14 pessoas, de acordo com a polícia e fontes médicas.

No bairro de Mansour, no oeste da cidade, um carro estacionado explodiu, matando seis pessoas. No bairro de Shaab, no leste, outro veículo estacionado explodiu perto de um grupo de peregrinos, causando a morte de 12 deles, acrescentaram as fontes.

A violência ocorre apenas três dias depois que os resultados preliminares da eleição iraquiana, realizada em abril, confirmaram o status do primeiro-ministro Nuri al-Maliki como o favorito para formar o novo governo.

(Reportagem de Ahmed Rasheed e Ned Parker)

Mais conteúdo sobre:
IRAQUE ATENTADOS XIITAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.