Atentados matam seis e ferem 40 no Iraque

Mulher-bomba mata duas mulheres e fere cinco; em Badgá, 18 são feridos em duplo ataque

Efe e Associated Press,

29 de janeiro de 2008 | 11h32

Pelo menos uma pessoa morreu e 15 civis, entre eles várias mulheres e crianças, ficaram feridos nesta terça-feira, 29, em um atentado suicida contra uma patrulha do Exército dos Estados Unidos na cidade iraquiana de Mossul, 400 quilômetros ao norte de Bagdá, segundo informaram fontes policiais. Pelo menos cinco pessoas morreram e outras 25 foram feridas em diferentes ataques no país. No total, seis pessoas morreram e 40 ficaram feridas na onda de violência. Em Mossul, um terrorista suicida lançou um veículo com explosivos contra a patrulha na altura do bairro de Al-Baza, no leste da cidade, disseram as fontes, acrescentando que há várias pessoas gravemente feridas. Por enquanto, não se sabe se houve vítimas entre os soldados americanos, já que não há confirmação do comando militar dos Estados Unidos. Este ataque ocorre pouco depois de o governo iraquiano anunciar uma grande ofensiva militar contra a insurgência vinculada à rede terrorista Al-Qaeda na província de Ninawa, e especialmente em sua capital, Mossul. Mulher-bomba Em Bagdá, uma mulher-bomba detonou um cinto com explosivos que tinha por baixo de sua roupa em um posto de controle nesta terça-feira, matando ao menos duas mulheres e ferindo outras cinco, de acordo com a polícia.  O ataque ocorreu logo depois do meio-dia, quando as mulheres estavam em uma sala para serem revistadas por guardas femininos, antes de poderem entrar em uma rua comercial no bairro predominantemente sunita de Amariya, no sudeste de Bagdá. O ataque ocorreu em uma das duas entradas do distrito comercial de Amal al-Shaabi. Os postos de controles foram erguidos em Bagdá pelas autoridades americanas e iraquianas que ergueram muros entre bairros como parte da tentativa de controlar a situação, o que permitiu baixar os níveis de violência da capital em mais de 50%. Em um duplo ataque, pelo menos 18 pessoas ficaram feridas, entre elas nove soldados e policiais, em duas explosões ocorridas em diferentes lugares de Bagdá, informaram fontes policiais. No primeiro incidente, que ocorreu na rua Sadun, uma das mais movimentadas do centro da cidade, a explosão de uma bomba na passagem de um veículo militar feriu dez pessoas, entre elas cinco soldados, disseram as fontes. Além disso, outra explosão que tinha como alvo uma patrulha da polícia que passava perto da Universidade Politécnica, no sudeste da capital, deixou oito feridos, quatro deles policiais, segundo as fontes. As duas explosões causaram grandes danos materiais a vários veículos. Pelo menos três meninas morreram e outras duas ficaram feridas devido à explosão de uma bomba enquanto iam para o colégio, em uma localidade do norte do Iraque, informaram hoje fontes policiais. Segundo as fontes, as meninas iam para a escola fazer provas quando explodiu uma bomba que tinha sido colocado do lado da estrada onde estavam, na localidade de Hawiya, ao oeste de Duluiya, 90 quilômetros ao norte do Iraque. Duluiya, uma das principais cidades da província de maioria sunita de Salah ad-Din, no norte do país, é um dos redutos da insurgência em sua campanha contra o regime de Bagdá.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.