Atentados suicidas matam 36 peregrinos xiitas no Iraque, diz polícia

Atentados suicidas no Iraque mataram pelo menos 36 pessoas nesta quinta-feira em ações que tinham como alvo peregrinos muçulmanos xiitas antes de um grande feriado sagrado na semana que vem, informou a polícia local.

Reuters

19 de dezembro de 2013 | 18h38

Dois anos depois da retirada das tropas dos Estados Unidos do Iraque, a violência está em seu nível mais alto desde 2006-2007, quando conflitos entre xiitas e sunitas mataram dezenas de milhares de pessoas.

O primeiro grande atentado do dia ocorreu quando um atacante suicida se explodiu perto de uma barraca onde se realizava a cerimônia de um funeral, matando pelo menos 16 peregrinos xiitas e ferindo 31 no bairro de Doura, de maioria sunita, situado no sul de Bagdá, disseram fontes policiais.

Outro extremista se explodiu perto de Latifiya, 40 quilômetros ao sul de Bagdá, em meio a um grupo de peregrinos xiitas do grupo étnico turcomeno, que vinham da cidade de Kirkuk, no norte, matando nove pessoas, segundo fontes médicas e da área de segurança.

Um terceiro homem-bomba detonou os explosivos em Latifiya, causando a morte de outras 11 pessoas. Nenhum grupo assumiu de imediato a responsabilidade pelos ataques.

(Reportagem de Kareem Raheem e Suadad al-Salhy)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEXIITASATAQUES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.