Atingir Gaddafi não é parte da missão, diz general dos EUA

O general do Exército norte-americano que comanda as forças dos EUA na imposição de uma zona de exclusão aérea sobre a Líbia disse nesta segunda-feira que não seria o ideal a permanência de Muammar Gaddafi no poder, mas que atacar o líder líbio não faz parte de sua missão.

REUTERS

21 de março de 2011 | 13h44

O general Carter Ham também afirmou que a coalizão militar que participa da operação realizou de 70 a 80 voos nesta segunda-feira, e que mais da metade dos voos foi realizada por forças de outros países que não os EUA.

Ele acrescentou que deve acontecer uma redução na frequência de ataques à Líbia nos próximos dias.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAEUAGADDAFI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.