Ativistas acusam Israel de sabotar barco de ajuda a Gaza

Ativistas irlandeses pró-palestinos acusaram na quinta-feira Israel de sabotar o barco deles durante uma escala na Turquia, a fim de impedir que o navio participasse de uma flotilha internacional que ruma para a Faixa de Gaza.

SIMON CAMERON-MOORE, REUTERS

30 de junho de 2011 | 20h46

A tripulação do MV Saoirse percebeu que algo estava errado no eixo do motor na segunda-feira, quando levaram o barco para abastecer em Gocek, no sudoeste da Turquia. Ativistas dizem que um engenheiro naval que inspecionou a embarcação numa doca seca declarou que ele havia sido sabotado.

"É idêntico ao dano com o barco sueco, e não é preciso ser o Sherlock Holmes para perceber quem está por trás disso", afirmou o ativista Paul Hogan, ex-jogador da seleção irlandesa de rúgbi, à RTE, TV estatal do seu país. "Israel já fez declarações dizendo que a flotilha será contida."

A intenção dos ativistas era chegar a Gaza com 15 embarcações, mas agora só restam nove. Eles pretendem zarpar no fim de semana, levando mantimentos para os 1,5 milhão de palestinos da Faixa de Gaza, afetados pelo embargo econômico israelense contra o governo do grupo islâmico Hamas na região.

A iniciativa dos ativistas ocorre pouco mais de um ano depois de fuzileiros navais israelenses invadiram o navio Mavi Marmara, principal embarcação de uma flotilha com seis barcos rumo a Gaza, num incidente que resultou na morte de nove ativistas.

Israel diz que o embargo econômico à Faixa de Gaza serve para evitar o tráfico de armas para o território.

(Reportagem adicional de Carmel Crimmins, em Dublin; e de Allyn Fisher-Ilan, em Jerusalém)

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDISRAELNAVIOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.