Ativistas de Israel atacam palestinos com tomates

Objetivo é chamar a atenção para o impasse entre israelenses e palestinos na região

BBC Brasil, BBC

03 de agosto de 2007 | 10h30

Um grupo de ativistas israelenses decidiu revidar os mísseis caseiros Qassam que militantes palestinos lançam em sua cidade, Sderot, perto da fronteira com a Faixa de Gaza, com seus próprios projéteis: ovos, tomates, mangas, pepinos e pimentões. Dois cientistas amadores foram recrutados para montar canhões de material reciclado. Os ativistas dizem que o ataque é "amistoso", e até os ovos vieram de "galinhas felizes". "O diálogo está parado. Não há diálogo real entre nós, os israelenses com o lado palestino. Nós só temos os Qassam, que são lançados do lado palestino, então basicamente nós decidimos tentar - e vamos ter êxito - fazer alguma coisa e para isso, vamos usar ''ovos da liberdade''", disse Yigal Tzur, que projetou as armas caseiras do grupo israelense. Um canhão de 50 centímetros pode lançar os produtos a 110 metros de distância e eles esperam melhorar o aparato. Para acertar o alvo, os ativistas usam os canhões em uma colina. Os palestinos na cidade mais próxima, Beit Hanoun, parecem não se incomodar com a idéia de uma salada bélica. "É melhor do que mísseis", disse um morador da área. O Exército israelense saiu da Faixa de Gaza em 2005, mas faz batidas periódicas para tentar conter o lançamento de foguetes e ataques.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.