Ativistas sírios dizem que blindados ainda estão nas cidades

Ativistas da oposição síria disseram nesta quarta-feira que as forças de segurança ainda mantêm veículos armados estacionados em ruas da cidade, prontos para agir contra manifestantes, apesar de os monitores de paz da Liga Árabe terem dito que eles haviam se retirado.

ERIKA SOLOMON E MARIAM KAROUNY, REUTERS

04 de janeiro de 2012 | 15h45

Grupos de oposição nas cidades de Idlib, no norte, em Homs, no centro, e Deraa, no sul, disseram que o Exército havia escondido blindados em trincheiras e substituído tanques por veículos blindados azuis pertencentes à força policial.

Uma missão da Liga Árabe chegou à Síria na semana passada para verificar se o governo estava pondo em prática um plano de paz pelo qual havia concordado em remover os militares das áreas de conflito e libertar milhares de pessoas presas desde o início do levante contra o presidente Bashar al-Assad, em março.

Na segunda-feira, o secretário-geral da Liga, Nabil Elaraby, disse no Cairo que os monitores haviam informado que as forças do Estado tinham se retirado das áreas residenciais. Segundo ele, a missão estava garantindo o fim do derramamento de sangue e havia conseguido a libertação de cerca de 3.500 prisioneiros.

"Nós não estamos vendo a libertação de presos ou uma autêntica remoção da presença militar das ruas", disse o diretor do grupo oposicionista Observatório Sírio para os Direitos Humanos, Rami Abdelrahman, que tem sua sede na Grã-Bretanha.

"Tanques do Exército foram substituídos por veículos blindados da polícia que ainda têm capacidade de usar armas pesadas", afirmou ele.

Vídeos colocados por ativistas na Internet mostram blindados escondidos atrás de altas barreiras de terra.

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIABLINDADOSCIDADES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.