Ativistas tentam quebrar bloqueio naval de Israel a Gaza

Ativistas internacionais, incluindo um vencedor de um prêmio Nobel da paz, saíram de barco do Chipre nesta terça-feira para romper um bloqueio naval de Israel à Faixa de Gaza, desafiando autoridades israelenses. Vinte e sete pessoas de 13 países saíram de Larnaca, com o objetivo de chegar ao território palestino até quarta-feira com uma tonelada de suprimentos médicos. O porta-voz do ministério das Relações Exteriores de Israel, Yigal Palmor, disse que o país não permitirá que os membros do Movimento Gaza Livre, baseado nos EUA, cheguem a Gaza. "Estamos determinados a chegar a Gaza", disse Mairead Corrigan Maguire, que recebeu o Nobel da Paz em 1976 por seu trabalho na Irlanda do Norte. "O povo de Gaza está isolado do mundo todo há dois anos, é a maior prisão do mundo." O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) disse na semana passada que, virtualmente, nenhum suprimento médico estava chegando à Faixa de Gaza, o que colocava as vidas de centenas de pacientes em risco. O CICV culpou a falta de cooperação entre autoridades palestinas na Cisjordânia, que é controlada pela facção Fatah, do presidente Mahmoud Abbas, e o Hamas, que tomou o controle de Gaza em junho de 2007, pela crise. "Temos uma lista de remédios com estoque zero em Gaza, como paracetamol e comprimidos anti-histamínicos", disse o palestino Briton Ibrahim Hamami, de 44 anos, um médico familiar de Buckinghamshire, que está fazendo a viagem. "Há coisas básicas que podemos entregar a partir da Europa, mas eles não têm nenhuma pílula." É a segunda tentativa do movimento "Gaza Livre" de tentar chegar à Gaza pelo mar, depois que 46 ativistas em dois barcos chegaram no território sem a interferência das autoridades israelenses em agosto. Israel retirou suas tropas e territórios de Gaza em 2005, mas ainda patrulha suas águas. (Reportagem de Michele Kambas)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.