Austrália dará residência a iraquianos que trabalham com tropas

Ministro de Defesa do país informou que qualquer iraquiano que se sentir ameaçado poderá pedir asilo

Efe,

09 de abril de 2008 | 01h05

O Governo da Austrália oferecerá residência a cerca de 600 iraquianos que colaboraram com as forças australianas posicionadas no Iraque, para cumprir assim com uma obrigação moral, disse nesta quarta-feira, 9, o ministro da Defesa do país, Joel Fitzgibbon. Entre os iraquianos que terão a possibilidade de viver na Austrália estão tradutores, intérpretes e outros profissionais que prestaram serviço ao contingente australiano. "Eles desempenharam um papel muito importante em matéria de proteção e estratégia, e achamos que temos uma obrigação moral para com eles", declarou o ministro à rádio ABC. Uma equipe de funcionários do departamento de Imigração viajará ao Iraque e a países vizinhos para fazer a seleção dos candidatos e preparar os pedidos de residência. Fitzgibbon também ressaltou que qualquer iraquiano que se sentir ameaçado em seu país, e que cujo caso não for lembrado pelos funcionários enviados ao Iraque, poderá pedir asilo à Austrália.

Tudo o que sabemos sobre:
AustráliaIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.