Austrália investiga 4º passaporte envolvido no caso 'al-Mabhouh'

Dirigente do Hamas foi assassinado em Dubai no dia 19 de janeiro; serviço secreto de Israel é principal suspeito

Efe,

09 de março de 2010 | 10h01

Um quarto titular de passaporte australiano está sendo procurado pela Interpol por possível relação com o assassinato de um dirigente do Hamas em Dubai por supostos agentes do serviço secreto israelense, o Mossad, anunciou nesta terça-feira, 9, o governo de Canberra.

 

Veja também:

linkInterpol dá alerta para 16 suspeitos de morte do líder do Hamas

especialEspecial: Na mira dos serviços secretos

 

O ministro de Exteriores da Austrália, Stephen Smith, informou que o documento de viagem pertence a Joshua Krycer, um médico que trabalha em Jerusalém. No entanto, garantiu que os quatro passaportes são duplicados, obtidos de forma fraudulenta.

 

Agentes da Polícia australiana estão em Israel para investigar o assunto e interrogar Nicole McCabe, Adam Korman e Joshua Bruce, seus outros três cidadãos envolvidos na morte de Mahmoud al-Mabhouh. As autoridades de Dubai elaboraram uma lista de quase trinta suspeitos com passaportes de Austrália, França, Irlanda e Reino Unido, entre outros países.

 

Al-Mabhouh foi assassinado a tiros no último dia 19 de janeiro em um hotel do emirado, aparentemente em uma operação de agentes do Mossad, os serviços de inteligência israelenses no exterior.

 

Os suspeitos viajaram para Dubai procedentes de seis cidades europeias e de Hong Kong, e vários deles usaram o mesmo cartão de crédito para realizar reservas de hotéis e comprar bilhetes de avião, enquanto o resto pagou em dinheiro vivo. Após cumprirem suas distintas tarefas encomendadas e matarem al-Mabhouh, abandonaram Dubai com destino à África do Sul, Irã e Hong Kong.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.