Autoridade da França estima 2 mil mortos na Líbia

A principal autoridade francesa de direitos humanos disse nesta quinta-feira que até 2 mil pessoas podem ter morrido na revolta popular contra o líder líbio Muammar Gaddafi.

REUTERS

24 de fevereiro de 2011 | 13h59

Em entrevista à Reuters, François Zimeray também afirmou que há claras evidências indicando que o líder líbio cometeu crimes contra a humanidade na repressão aos manifestantes.

"A questão não é se Gaddafi vai cair, mas quando e quais serão os custos humanos", disse Zimeray em seu gabinete no Ministério das Relações Exteriores.

"Por enquanto os números que temos... mais de 1 mil pessoas morreram, possivelmente 2 mil, de acordo com fontes."

(Por John irish)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAFRANCADIREITOSHUMANOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.