Arquivo/AP
Arquivo/AP

Autoridade do Irã promete defesa mais forte de política nuclear

Saeed Jalili diz que potências devem reconhecer o direito de Teerã para que haja qualquer avanço

Reuters

04 de abril de 2013 | 10h40

ALMATY - O negociador-chefe nuclear do Irã, Saeed Jalili, enviou uma mensagem desafiadora antes de uma nova rodada de negociações com potências mundiais no Cazaquistão, dizendo nesta quinta-feira, 4, que elas têm de reconhecer o direito do Irã a um programa nuclear para que haja qualquer avanço nas conversas.

Jalili disse também que a República Islâmica vai defender seu direito de enriquecer urânio com "mais rigor" após a eleição presidencial em junho.

"O impacto da eleição será que ... o nosso povo irá defender o seu direito com mais rigor", disse ele em discurso em uma universidade na cidade cazaque de Almaty.

Dirigindo-se à rodada de negociações, que deve começar na sexta-feira e durar até sábado, Jalili acrescentou: "Nós achamos que nossas negociações de amanhã podem ir adiante com uma palavra, que é a aceitação dos direitos do Irã, especialmente o direito ao enriquecimento".

As potências mundiais suspeitam que o programa iraniano de enriquecimento de urânio tem uma dimensão militar secreta e estão pedindo a Teerã para suspender o refino de urânio a níveis mais elevados.

Teerã nega que esteja buscando a capacidade de fazer bombas e diz que seu trabalho atômico é para a geração de energia e pesquisas médicas.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãprograma nuclearSaeed Jalili

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.