Autoridades dizem que avião se desintegrou ao bater no chão

Aeronave da Caspian Airlines cai rota entre Teerã e Yerevan, na Armênia 16 minutos após a decolagem

15 de julho de 2009 | 14h49

O avião da Caspian Airlines que caiu nesta quarta-feira, 15, e deixou 168 mortos entre a rota Teerã - Yerevan, na Armênia, se desintegrou ao atingir o solo em Qazvin, no noroeste do Irã, segundo a agência de notícias CNN. A aeronave modelo Tupolev caiu próximo ao vilarejo de Jannatabad às 11h33 do horário local.

 

Veja também:

Avião iraniano cai e mata as 168 pessoas a bordo

mais imagens Fotos: Galeria de imagens do acidente

video Imagens do local do acidente (no YouTube)

especialCronologia dos piores acidentes aéreos do mundo

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

 

Segundo o Coronel Masood Jafari Nasab, comandante de segurança da cidade de Qazvin, "a aeronave se partiu em várias partes", que foram encontradas próximas ao local da queda, onde uma grande cratera se formou com o impacto do avião. "O avião de repente começou a cair e explodiu com o impacto, onde há a cratera", disse uma testemunha à Press TV no local do acidente.

 

Visualizar Acidente no Irã em um mapa maior

 

O governador suplente de Qazvin, Sirous Saberi disse que as autoridades estão procurando pelas caixas-pretas do avião e gravadores de voz da cabine para determinar as causas do acidente, informou a Press TV. O chefe da Polícia de Qazvin, Hossein Behzadpour, e o chefe do departamento de desastres do Ministério da Saúde iraniano, Mohammad Reza Montazes Khorasan, confirmaram que todos os 168 ocupantes do avião morreram. Eram 153 passageiros e 15 tripulantes, dos quais 160 tinham nacionalidade iraniana, outros seis eram armênios e dois, georgianos, informaram fontes da Aviação Civil armênia.

 

Segundo a agência de notícias local Mehr, entre os mortos estão oito lutadores e dois técnicos da seleção iraniana de Judô, que viajavam à Armênia para preparar o campeonato que acontecerá em Budapeste no início de agosto. Qazvin, capital da província de mesmo nome, tem cerca de 330 mil habitantes e está há cerca de 140 quilômetros da capital Teerã.

 

O avião, de fabricação russa, tinha decolado às 11h15 (4h15 de Brasília) do aeroporto internacional Imame Khomeini, de Teerã, com destino a Yerevan, capital da Armênia. Segundo as autoridades iranianas, 16 minutos depois da decolagem o avião caiu, por causas ainda desconhecidas, perto da aldeia de Janat-Abad, onde produziu uma cratera de dez metros de diâmetro. Após pegar fogo, a aeronave ficou reduzida a pequenos pedaços.

 

CAUSAS

 

As primeiras investigações apontam que a causa do acidente teria sido um problema técnico, mas as autoridades iranianas explicam que nada pode ser confirmado antes que a caixa-preta seja recuperada e analisada. Segundo o vice-governador da província iraniana de Qazvin, Sirous Saberi, o piloto relatou à torre de controle um problema técnico e pediu permissão para fazer um pouso de emergência.

 

Queda de avião provocou cratera no solo; serviços de emergênca trabalham nos escombros. Foto: Efe

 

Aparentemente, depois de detectar o problema, o piloto teria tentado aterrissar em aeroportos próximos, explicou Saberi, citado pela agência de notícias local Mehr. Logo após a tragédia vir a público, o porta-voz da organização de aviação civil iraniana, Reza Jafarzadeh, respaldou essa hipótese, ao lembrar que "a única informação disponível é que o voo 7908 sofreu problemas após decolar."

 

Responsáveis da organização de aviação civil armênia também apoiaram esta teoria e ressaltaram que, embora ainda não haja confirmação oficial, existe a possibilidade de um dos motores da aeronave ter se incendiado antes da queda. No local do acidente, a imagem era de desolação, com centenas de pedaços da fuselagem e corpos espalhados pelo campo, alguns a mais de 500 metros de distância dos restos do aparelho.

 

"O avião ficou destruído. Muitos pedaços estão nos arredores de Janat-Abad", aldeia situada cerca de 150 quilômetros a noroeste de Teerã, explicou o chefe da unidade anti-incêndios, Hussein Behzadpour. Segundo ele, bombeiros chegaram ao local do acidente pouco depois de o aparelho perder contato com a torre de controle e cair sobre um campo, onde ficou envolvido em chamas.

 

MOBILIZAÇÃO

 

No Irã foi criado um gabinete de crise para coordenar as tarefas de busca, resgate e identificação dos corpos, que começaram nesta tarde. O general Hossein Sajedinia, segundo comandante-chefe da polícia da província de Teerã, explicou à rádio pública que o trabalho será longo. "Primeiro, é preciso recuperar todos os corpos desmembrados, entre os quais se encontram vários estrangeiros, para poder realizar a análise de DNA assim que tiverem sido transferidos aos laboratórios", disse Sajedinia.

 

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, expressou sua solidariedade às famílias das vítimas, algumas das quais já viajaram para Janat-Abad. A Caspian Airlines é uma companhia iraniana fundada em 1992, que opera voos internacionais para Hungria, Emirados Árabes Unidos, Síria, Ucrânia, Armênia, Belarus e Turquia, assim como para as principais cidades iranianas.

 

O Irã tem uma frota aérea em péssimas condições, em parte por causa das sanções econômicas e financeiras internacionais que o país sofre e que dificultam a renovação e manutenção das aeronaves. Desde a imposição destas sanções, na década de 1980, a aviação iraniana registrou vários acidentes com mais de 100 mortos.

 

Tudo o que sabemos sobre:
aviãoquedaacidenteTupolevIrãTeerã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.