Autoridades ligam Al-Qaeda a atentado em embaixada dos EUA

Ataque matou um guarda e feriu 17 pessoas no Iêmen; entre elas, 13 alunas de escola vizinha

Efe,

22 de março de 2008 | 12h49

Fontes de segurança do Iêmen responsabilizam a rede terrorista Al-Qaeda pelo ataque perpetrado na terça-feira contra a embaixada dos Estados Unidos em Sana, segundo publicou nesse sábado, 22, o jornal oficial iemenita Al Zaura.   O ataque matou um guarda da delegação diplomática e feriu 17 pessoas, entre elas quatro guardas da embaixada e 13 alunas da escola.   Um militante da Al Qaeda, identificado como Hamza al-Diyani, foi quem lançou as bombas que tinham como alvo a missão diplomática, mas caíram no colégio ao lado, disseram as fontes, citadas pelo jornal. As forças de segurança prosseguem a busca do terrorista para levá-lo perante a Justiça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.