Aviões israelenses bombardeiam Parlamento palestino em Gaza

Hamas diz que 'espera o inimigo para despedaçá-lo' e continua lançamento de foguetes

AP

01 de janeiro de 2009 | 07h12

JERUSALÉM - Aviões israelenses bombardearam o prédio do Parlamento palestino na Cidade de Gaza na manhã desta quinta-feira (1), e navios abriram fogo contra posições do Hamas ao longo do litoral do território. Além do Parlamento, outros dois edifícios oficiais foram alvo da incursão aérea em Gaza. Veja também:Israel recusa apelos por trégua e mobiliza tropasConselho de Segurança termina reunião sem acordo sobre GazaIsrael coloca vídeos de ataques no YouTube Lapouge: Israel quer restabelecer orgulho militar  Conheça a história do conflito entre Israel e palestinos  Veja imagens de Gaza após os ataques   Fontes médicas informaram que 25 pessoas ficaram feridas e foram retiradas de residências próximas aos locais bombardeados. O número de mortos em Gaza já chega a 390, segundo autoridades palestinas. Segundo a ONU, pelo menos 60 desses mortos são civis. O total de feridos já chega a 1.600. Do lado israelense, três civis e um militar morreu após disparos de foguetes do Hamas.O comando militar israelense informou ter bombardeado também túneis ao longo da fronteira entre Gaza e Egito, num esforço para cortar o último canal de ligação do Hamas com o exterior do território sitiado. A passagem também é usada para trazer comida e remédios do Egito, numa tentativa de romper o bloqueio imposto por Israel e pelo Cairo ao território desde 2007.Em cinco dias de ofensiva, Israel já realizou mais de 500 ataques contra a Faixa de Gaza. Mais de 9 mil soldados da reserva foram convocados, à espera de uma ofensiva terrestre. O Hamas reagiu à falta de disposição israelense para uma trégua em um comunicado distribuído à imprensa. " O povo de Gaza espera a invasão do inimigo sionista para despedaçá-lo", diz o texto. O primeiro-ministro do governo do Hamas em Gaza, Ismail Haniyeh prometeu a vitória em um discurso transmitido pela TV. " Vocês serão vitoriosos, conforme a vontade de Deus. A vitória está mais próxima do que se espera", disse Haniyeh, que, a exemplo de outros líderes do Hamas, está escondido.Na noite de quarta-feira, militantes do Hamas continuaram a lançar foguetes sobre Israel. O governo recomendou que estudantes de universidades do sul do país fiquem em casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.