Bebê palestino morre após inalar gás lacrimogêneo israelense

Criança de 14 meses morava em bairro onde houve confronto durante protesto

Efe,

25 de setembro de 2010 | 06h45

JERUSALÉM - Um bebê palestino faleceu nesta sexta-feira, 24, ao inalar gás lacrimogêneo lançado pela polícia israelense para conter os protestos que se registraram em Jerusalém Oriental, segundo fontes médicas citadas neste sábado, 25, pela imprensa local.

 

As fontes médicas atribuem ao gás a morte de Muhamed Abu Sneneh, uma criança de 14 meses residente do bairro de Al Isawiya, onde na quarta-feira ocorreu um protesto da população árabe pela morte de um jovem palestino por disparos de um guarda de segurança israelense em Jerusalém Oriental, informou a agência de notícias palestina Ma'an.

 

O porta-voz policial, Miky Rosenfeld, assegurou ao veículo que a força utilizada pelos agentes foi "mínima", e que não há informações oficiais sobre nenhuma morte.

 

Desde o incidente de quarta-feira houve distúrbios em vários bairros de Jerusalém Oriental, onde a Polícia aumentou na sexta-feira a presença de seus agentes até cerca de três mil, especialmente em Isawiya e no campo de refugiados de Shuafat, nos quais se instalaram postos de controle que impediam a passagem por algumas ruas.

 

Nesta sexta-feira, dia sagrado muçulmano, a polícia israelense impediu o acesso de homens menores de 45 anos à Esplanada das Mesquitas, para evitar que acontecessem enfrentamentos após as rezas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.