Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Bin Laden diz que Annapolis levou a bloqueio contra palestinos

Conflito se soluciona com 'ferro e fogo', segundo Bin Laden na segunda gravação divulgada pela Al Jazira

Efe

20 de março de 2008 | 16h19

Osama bin Laden assegurou nesta quinta-feira, 20, em uma gravação divulgada pelo canal de TV árabe Al Jazira, que o bloqueio contra os palestinos é conseqüência da conferência de paz de Annapolis (Estados Unidos), realizada no final do ano passado.   Veja também:   Bin Laden ameaça UE por charge do profeta Maomé CIA confirma autenticidade da mensagem de Bin Laden Vaticano reage à acusação de Bin Laden sobre 'cruzada' do papa   Nova versão de polêmica charge de Maomé é publicada   "O bloqueio assassino começou após o apoio árabe em Annapolis aos norte-americanos e à entidade sionista (Israel)", assegura a gravação sonora atribuída ao líder da Al Qaeda.   A Al Jazira não ofereceu detalhes de como e quando tinha obtido a gravação.   Bin Laden, que insta os palestinos a resistirem até a morte, assegura que a jihad (guerra santa) é o único caminho para que o povo palestino saia da situação na qual se encontra.   "(O conflito) não se soluciona com negociações ou diálogo, mas com ferro e fogo", assegura a voz.   Além disso, Bin Laden renovou seu propósito de lutar contra as forças americanas devido ao conflito no Iraque e assegurou que o país asiático representa "o campo de batalha" que conduzirá à libertação da Palestina.   Esta é a segunda gravação de Bin Laden transmitida nesta quinta-feira, 20, já que na madrugada uma página islamita emitiu outra gravação na qual o líder da Al Qaeda ameaçava agredir a Europa pela publicação das "caricaturas insultantes" contra o profeta Maomé.   Na gravação da madrugada, Bin Laden também fez críticas ao papa.

Tudo o que sabemos sobre:
Bin ladenMaoméCharge

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.