Blackwater matou 14 civis sem justificativa, diz FBI

Investigação do FBI apontada pelo jornal NYT diz que agentes usaram armas de fogo indiscriminadamente

Efe,

14 de novembro de 2007 | 07h45

Os agentes da companhia privada de segurança americana Blackwater dispararam sem justificativas contra pelo menos 14 dos 17 civis que morreram num incidente em Bagdá no dia 16 de setembro, segundo uma investigação do FBI cujos resultados o jornal The New York Times publicou nesta quarta-feira, 14. A investigação do FBI ainda não foi encerrada, mas suas descobertas indicam que os seguranças usaram armas de fogo de forma imprudente. O Departamento de Justiça já está examinando os relatórios preliminares. Segundo o jornal, que cita como fontes civis e oficiais militares que forneceram informações aos agentes do FBI, não há evidências que apóiem as afirmações dos funcionários da Blackwater, que alegam ter respondido aos tiros de civis iraquianos. A investigação do FBI revela que só três das 17 mortes na praça al-Nasur, em Bagdá, podem ser justificadas como uma resposta a uma iminente ameaça. No incidente, um grupo de agentes da Blackwater atirou contra civis, deixando 17 mortos e 27 feridos, segundo uma investigação das Forças de Segurança iraquianas. Segundo o New York Times, o FBI concluiu que alguns dos cinco guardas da Blackwater abriram fogo. A investigação se concentra na atuação de um deles, responsável por muitas das mortes. No mês passado, as famílias de alguns iraquianos que morreram no incidente processaram a companhia por considerar que ela violou a lei e promove uma cultura "de anarquia legal" entre seus empregados.

Tudo o que sabemos sobre:
BlackwaterEUAIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.