Blair visita Oriente Médio em 'missão impossível' de paz

Ex-premiê britânico se encontrará com a ministra das Relações Exteriores e o ministro da Defesa israelenses

ALASTAIR MACDONALD, REUTERS

23 Julho 2007 | 07h26

Tony Blair chega nesta segunda-feira, 23, a Jerusalém para sua primeira visita como enviado de paz internacional, na expectativa de ajudar a encerrar 60 anos de fracassos de negociações na região.A visita já foi chamada pelos céticos de "missão impossível". Mas o novo enviado do chamado "Quarteto" de negociadores - Estados Unidos, Rússia, União Européia (UE) e Organização das Nações Unidas (ONU) - declarou ter esperança de ajudar a resolver o grave problema global.Ele iniciou a viagem de dois dias à região na capital da Jordânia, Amã, onde se encontraria com o chanceler Abdelelah al-Khatib, antes de seguir para Jerusalém.Ao lado do Egito, a Jordânia é um dos dois países árabes a manter relações formais com Israel.Não se espera que haja muitos comentários públicos da visita. Segundo um porta-voz de Blair, ele está "vindo basicamente para ouvir".O ex-primeiro-ministro britânico vai se encontrar com a ministra das Relações Exteriores e o ministro da Defesa israelenses, assim como com um importante diplomata norte-americano no país, antes de se reunir, na terça-feira, com o premiê Ehud Olmert e com o presidente palestino, Mahmoud Abbas.O "Quarteto" pediu a Blair que apresente, até setembro, um plano inicial para construir instituições necessárias para estabelecer um Estado palestino viável ao lado de Israel.Mas um Estado palestino parece agora mais remoto do que nunca, com os territórios divididos entre o Hamas, na Faixa de Gaza, e a facção Fatah, de Abbas, na Cisjordânia.(Com reportagem de Suleiman al-Khalidi em Amã, Nidal al-Mughrabi em Gaza, Mohammed Assadi e Wafa Amr em Ramallah e Adam Entous em Jerusalém)

Mais conteúdo sobre:
MUNDOORMEDBLAIRJERUSALEM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.