Bomba mata cientista nuclear iraniano; Irã culpa Israel

Por Ramin Mostafavi

REUTERS

11 de janeiro de 2012 | 08h20

TEERÃ, 11 JAN - Um cientista nuclear iraniano foi morto pela explosão de uma bomba instalada em seu carro nesta quarta-feira, em um ataque que o vice-governador de Teerã disse ter sido cometido por Israel. O atentado aumentou a tensão entre o Irã e países ocidentais relacionada ao programa nuclear iraniano.

O ataque, que uma autoridade municipal disse ter sido semelhante a ataques ocorridos um ano atrás contra cientistas nucleares no Irã, ocorreu no momento em que os Estados Unidos tentam persuadir a China a ajudar nos esforços para aumentar as sanções contra o Irã.

"A bomba era de tipo magnética e semelhante àquelas usadas anteriormente para assassinar cientistas, e isso é obra dos sionistas (israelenses)", disse o vice-governador de Teerã, Safarali Baratloo, segundo a agência semioficial de notícias Fars.

De acordo com a Fars, a vítima era um "cientista nuclear" que "supervisionava um departamento na Unidade de Enriquecimento de Urânio da (Usina) de Natanz".

As sanções norte-americanas contra o Irã já começaram a surtir efeito. O rial, a moeda iraniana, perdeu 20 por cento de seu valor em relação ao dólar na última semana, e a República Islâmica ameaçou fechar o Estreito de Ormuz, por onde é transportado 40 por cento petróleo comercializado no mundo.

Tudo o que sabemos sobre:
IRACIENTISTANUCLEAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.