Bomba mata três soldados americanos e dois civis no Iraque

Número total de mortos desde o início da guerra chega próximo aos 4 mil; outro soldado ficou ferido

Reuters e Efe,

22 de março de 2008 | 12h14

Três soldados norte-americanos foram mortos por uma bomba no Iraque neste sábado, 22, elevando o número total de mortes para perto dos 4 mil, no início do sexto ano de guerra para as tropas dos Estados Unidos. O incidente ocorreu três dias depois de o presidente George W. Bush ter dito que o país estava na trilha da vitória no Iraque. O número de soldados mortos na guerra chegou a 3.996.   Veja também: EUA prende mais de 200 em protestos contra a guerra do Iraque Polícia prende 32 em protestos contra a guerra do Iraque Guerra do Iraque faz 5 anos Ocupação do Iraque  As forças armadas dos Estados Unidos informaram que três soldados morreram quando uma bomba explodiu na estrada perto de seu veículo a noroeste de Bagdá. Dois civis iraquianos também morreram no ataque.    Segundo uma nota do comando do Exército norte-americano, a detonação, que aconteceu na passagem de uma patrulha pelo local, também deixou outro militar ferido, que foi levado a um hospital da coalizão multinacional. As bombas colocadas perto de rodovias são as maiores causadoras de mortes de soldados dos Estados Unidos no país. Na sexta-feira, um soldado norte-americano morreu por ferimentos causados por "fogo indireto", um termo comumente usado pelos militares para se referir a ataques com morteiros ou foguetes. Seis membros de uma patrulha apoiada pelos Estados Unidos foram mortos na manhã deste sábado em um ataque realizado por um helicóptero norte-americano, informaram a polícia e um líder comunitário local. O exército dos Estados Unidos disse estar checando a informação.     Presidente e candidatosEm um discurso otimista marcando o quinto aniversário da guerra, Bush reconheceu o "alto custo em vidas e dinheiro", mas disse que o aumento do contingente dos EUA no Iraque reduziu a violência e abriu as portas para uma vitória estratégica na guerra contra o terror. A guerra é um tema importante na campanha presidencial dos Estados Unidos, com os candidatos democratas à presidência, Barack Obama e Hillary Clinton, pedindo a retirada das tropas. O candidato republicano, John McCain, quer que os soldados fiquem no Iraque até que o país esteja mais estabilizado.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUAguerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.