Bombas destroem loja de discos no Afeganistão e ferem 10 pessoas

Pelo menos 10 civis afegãos ficaram feridos quando uma bomba explodiu dentro de uma loja de discos no leste do Afeganistão nesta quarta-feira, disseram autoridades locais. Aparentemente, foi mais um ataque contra artigos culturais considerados imorais.

REUTERS

10 de novembro de 2010 | 11h55

A explosão destruiu uma loja que vendia CDs na cidade de Jalalabad, perto da fronteira com o Paquistão. O proprietário, Mohammad Nader, um dos feridos, afirmou que um insurgente fingindo ser cliente deve ter colocado a bomba na loja.

"Eu tinha aberto este negócio fazia uma semana e agora tudo está destruído", disse Nader, do hospital onde estava sendo tratado.

Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelo ataque, embora ações similares no passado tenham sido atribuídas ao Taliban.

Durante seu governo, derrubado em 2001, o Taliban proibiu televisão e música, por considerá-las anti-islâmicas. Eles também se opunham à educação das meninas, por isso ataques com gás contra escolas para garotas são relativamente comuns no país.

No ano passado, insurgentes talibans sequestraram cinco músicos afegãos em uma festa d casamento em um vilarejo remoto, na província de Nangarhar, da qual Jalalabad é capital. Eles destruíram os instrumentos musicais deles, rasparam suas cabeças e os amarraram a uma árvore, como punição.

Antes de serem libertados, os músicos tiveram de jurar que iriam buscar outros meios de ganhar a vida.

A violência no Afeganistão está em seu pior momento desde que o Taliban foi destituído do poder. As mortes de civis e militares estão no ponto mais elevado, apesar da presença de cerca de 150 mil soldados estrangeiros no país.

(Reportagem de Rafiq Sherzad)

Tudo o que sabemos sobre:
AFEGANISTAOATAQUEMUSICA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.