Brasileira impedida de sair do Líbano diz correr risco de morte

Paranaense Nariman Osman Chiah teria sido impedida de sair pelo grupo xiita Hezbollah

Redação estadao.com.br,

30 de julho de 2008 | 17h39

A brasileira Nariman Osman Chiah, de 21 anos, que foi impedida de deixar o Líbano com seu filho no último dia 21 de junho, disse estar com a vida em risco no país em entrevista à rádio Eldorado. Também em entrevista à rádio, a mãe de Nariman, que mora no Brasil, afirmou que ela está autorizada a sair do país, desde que sem o filho.   Veja também: Ouça entrevista com a brasileira Hezbollah impede brasileira de deixar o Líbano   Casada desde 2001 com o libanês Ahmed Holeihel, ela está grávida de 4 meses e diz sofrer maus-tratos do marido, a quem acusa de tê-la ameaçado.   Segundo informações divulgadas pela BBC Brasil, a ordem que impede a saída da brasileira e seu filho do Líbano teria sido expedida pelo grupo xiita Hezbollah, que é responsável pela segurança do aeroporto de Beirute. Em entrevista à Eldorado, Nariman nega que o marido tenha ligações com o partido, mas afirma que ele pode ter pedido ajuda ao grupo para impedí-la de deixar o país.   Nariman explicou que está sendo auxiliada pelo cônsul brasileiro no país, que providenciou abrigo a ela e contratou advogados para cuidar de seu caso.   O estadao.com.br procurou a embaixada do Líbano em Brasília e o consulado em São Paulo para esclarecer o caso, mas as ligações não foram atendidas.  

Tudo o que sabemos sobre:
NarimanHezbollahLíbano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.