Bush condena ataque e diz 'estar firme' com Israel

Condoleezza Rice afirmou que o atentado a seminário rabínico em Jerusalém foi um 'ato de terror e depravação'

Agências internacionais,

06 de março de 2008 | 20h24

O presidente americano, George W. Bush, disse nesta quinta-feira, 6, que os EUA reiteram seu apoio a Israel, depois do ataque a um seminário rabínico em Jerusalém. "Eu condeno nos maiores termos possíveis o ataque terrorista em Israel", declarou Bush em nota. A Secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, também condenou o ato e expressou suas condolências ao governo israelense.  Veja também:Tiroteio em seminário rabínico deixa 8 mortos em JerusalémGrupo desconhecido reivindica atentado em JerusalémAtentado a seminário em Jerusalém foi o pior dos últimos 2 anosFrança condena 'com a máxima firmeza' ataques em Israel Bush disse ter falado com o premiê israelense, Ehud Olmert, para levar suas condolências. "Eu disse a ele que os Estados Unidos se mantém firme ao lado de Israel diante desse terrível atentado." Para Condoleezza Rice, o ataque foi "um ato de terror e depravação." Rice declarou ter falado com o ministro de Exteriores israelense para levar as condolências americanas às famílias das vítimas do ataque, que a secretária classificou como "bárbaro". Segundo ela, o incidente "entra em choque com a consciência das nações pacíficas." No ataque, um homem armado invadiu a sala de jantar de um seminário em Jerusalém e começou a atirar. Segundo informações da polícia e de equipes de resgate, ao menos oito pessoas foram mortas. Foi o pior atentado em Israel desde o incidente de 17 de abril de 2006, quando o ataque de um homem bomba deixou 11 mortos e outros 60 feridos durante o feriado do Pessach - a Páscoa judaica - em Tel Aviv.

Tudo o que sabemos sobre:
BushRiceEUAJerusalémIsraelatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.