Bush diz que paz no Oriente Médio é possível em seu mandato

Em visita à região, a secretária de Estado, Condoleezza Rice, disse que negociações precisam ser retomadas

Agências internacionais,

04 de março de 2008 | 15h12

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse nesta terça-feira, 4, que continua otimista com a possibilidade de que Israel e os palestinos alcancem um acordo de paz antes que ele deixe a presidência, apesar da recente onda de violência na região. "Dez meses é bastante tempo. Há muito tempo para que se alcance um acordo", disse Bush, após conversar na Casa Branca com o rei Abdullah, da Jordânia.  Bush também disse que o objetivo da diplomacia dos EUA é levar novamente os dois lados à mesa de negociação. "Estou otimista que eles possam celebrar negociações rígidas", disse ele. "Eu ainda estou tão otimista quanto eu estava depois de Annapolis", disse o presidente se referindo a conferência de paz no Oriente Médio, que ocorreu no ano passado.   Ele fez as declarações num momento em que a secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, visita o Oriente Médio.   Rice pediu a Israel e aos palestinos que retomem as negociações de paz mediadas pelos Estados Unidos, que foram suspensas após os ataques israelenses à Faixa de Gaza, encerrados na segunda-feira.   "As negociações precisam ser retomadas o quanto antes", afirmou a secretária no Cairo, onde conversou com líderes egípcios sobre como acabar com a crise na Faixa de Gaza e acalmar Abbas, um dirigente que conta com o apoio de potências ocidentais.   Maior incursão   Israel realizou no sábado sua maior incursão terrestre em Gaza em mais de um ano, com um saldo de mais de 120 palestinos e dois soldados israelenses morto. Foi um dos dias mais sangrentos na Faixa de Gaza desde que Israel se retirou da região, em 2005.   Autoridades médicas locais dizem que ao menos 13 dos palestinos mortos no sábado eram civis, incluindo oito crianças. Mais de 200 palestinos, e sete israelenses, também ficaram feridos. Apesar das ações militares israelenses, os foguetes contra o seu território continuaram a ser disparados.   Nesta terça-feira, cerca de 25 veículos blindados do exército israelense invadiram a região sul da Faixa de Gaza novamente, onde tropas estão confrontando militantes palestinos do Hamas. Segundo testemunhas, ao menos três pessoas ficaram feridas.   

Tudo o que sabemos sobre:
OrmedBushAcordo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.