Bush suspende retirada de soldados do Iraque após julho

O presidente George W. Bush anunciou naquinta-feira a suspensão da retirada de soldadosnorte-americanos do Iraque, que aconteceria em julho, a fim depermitir que as Forças Armadas reavaliem a situação daquelepaís. O anúncio apareceu em meio a uma nova onda de violência noIraque, verificada nas últimas semanas. A polícia iraquiana disse na quinta-feira que bombardeiosnorte-americanos mataram 10 pessoas no bairro de Sadr City, umreduto de militantes em Bagdá onde os combates de ruadiminuíram após quatro dias de confrontos nos quais morreramperto de 90 pessoas. Bush aceitou a recomendação feita pelo comandante dasforças dos EUA no Iraque, general David Petraeus, para que sejacompletada a atual retirada dos soldados até julho para entãoser imposta uma paralisação de 45 dias antes de cogitar novasmanobras do tipo. Em vista disso, os norte-americanoscontinuariam com 140 mil soldados no território iraquiano. "Eu lhe disse que ele terá todo o tempo de que precisa",afirmou o presidente norte-americano em Washington. A favela de Sadr City vem sendo, desde domingo, o centro deconflitos entre membros mascarados da milícia Exército Mehdi,do clérigo xiita Moqtada al-Sadr, e forças de segurança. Essa onda de violência, um prolongamento dos combatessurgidos no final de março quando o primeiro-ministro do país,Nuri al-Maliki, lançou uma operação repressiva contramilicianos na cidade de Basra (sul), reflete na disputapresidencial travada nos EUA, provocando discussões sobre aretirada dos soldados e chamando atenção para a fragilidade dosavanços feitos recentemente. A polícia iraquiana disse que dois ataques aéreosrealizados na quinta-feira de manhã mataram seis pessoas eferiram dez em Sadr City. O tenente-coronel Steven Stover, porta-voz das ForçasArmadas dos EUA, confirmou a realização dos dois bombardeioscontra um suposto local de lançamento de foguetes, mas dissedesconhecer qualquer informação sobre mortos. A ação foirealizada por um avião-robô. Na quarta-feira, um helicóptero disparou dois mísseiscontra homens armados que atacaram naquele bairro um posto desegurança iraquiano-americano, matando quatro deles, disseStover. A polícia do Iraque e dirigentes de hospitais afirmaram quedois dos mortos eram meninos. Uma bomba matou um soldado dos EUA na região central deBagdá, durante a noite, elevando o número de baixasnorte-americanas para 20 em abril, o que coloca esse mês nocaminho de tornar-se o mais violento para as forçasestrangeiras desde setembro. Ainda assim, a polícia, os militares dos EUA e moradores doIraque disseram que as ruas de Sadr City, onde a maior partedos combates desta semana aconteceu, estavam mais calmas do quenos quatro dias anteriores, quando o Exército Mehdi enfrentoumilitares norte-americanos e iraquianos. Apesar da proibição imposta em Bagdá na quarta-feira,aniversário de cinco anos da rendição da capital, a respeito dacirculação de veículos, mais de 20 pessoas foram mortas emcombates travados em Sadr City. E os militares dos EUAanunciaram a morte de mais cinco de seus soldados. O número de baixas entre os norte-americanos somava umamédia de cerca de uma por dia nos últimos seis meses, mas essacifra dobrou em abril. (Reportagem adicional de Wisam Mohammed)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.