Bush tenta convencer árabes céticos de esforço para paz

O presidente dos EstadosUnidos, George W. Bush, procurou assegurar aos árabes nodomingo que está comprometido em intermediar um acordo para oEstado palestino antes de deixar o cargo, apesar de seu apoioaberto a Israel. Ao final de sua visita ao Oriente Médio, Bush tentouamenizar o descontentamento dos palestinos em relação à suavisita a Israel, onde ele encheu o Estado judeu de elogios,chamando-o de "a terra das pessoas escolhidas." Em seu discurso para um público de maioria árabe, no FórumEconômico Mundial, em Sharm el-Sheikh, no domingo, Bushinsistiu em afirmar que "acredita firmemente" em um acordo depaz no Oriente Médio até o próximo ano_ um prazo amplamentevisto como irreal. Impopular no mundo muçulmano devido à guerra do Iraque,Bush abordou assuntos de petróleo à reforma política e pediuaos aliados árabes para isolar os inimigos norte-americanosSíria e Irã por "apoiarem o terrorismo". "Nós temos que apoiar os palestinos, que sofreram pordécadas e conquistaram o direito à própria terra", disse Bushno fim de sua viagem de cinco dias ao Oriente Médio. Ajustando sua abordagem em relação à empregada durante avisita da semana passada às celebrações do 60o aniversário deIsrael, Bush pressionou os palestinos para "lutar contra oterrorismo" e pediu a Israel para fazer "grandes sacrifíciospela paz e diminuir as restrições aos palestinos." Após o discurso, Bush viajou para Washington. O presidente norte-americano, que se encontrou com opresidente palestino, Mahmoud Abbas, em Sharm el-Sheikh nosábado, também tentou ampliar o apoio regional para o processode paz no Oriente Médio e pediu a nações árabes "para superaremvelhos ressentimentos contra Israel." A viagem de Bush dá continuidade à conferência realizadanos Estados Unidos, em Annapolis, em novembro. Desde então, asnegociações emperraram com a expansão de assentamentosisraelenses na Cisjordânia ocupada e a violência na faixa deGaza e em suas proximidades, onde bombardeiros do Hamas geraramuma forte resposta militar de Israel. (Reportagem adicional de Wafa Amr em Ramallah)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.