Bush tranquilizou Israel sobre segurança, diz Olmert

Durante sua recente visita, opresidente dos Estados Unidos, George W. Bush, garantiu aIsrael que os palestinos terão de cumprir suas obrigações emrelação à segurança antes de qualquer acordo de paz serimplementado, afirmou no domingo o primeiro-ministroisraelense, Ehud Olmert. Encarando a possível saída de um aliado de direita dacoalizão das negociações de paz de Israel com os palestinos,Olmert abriu a reunião de gabinete semanal deixando claro quenão haverá pressa em relação à soberania palestina. "O presidente ... reiterou o comprometimento total dosEstados Unidos para que nenhum acordo entre nós e os palestinosseja colocado em prática antes da implementação completa do'mapa da paz', em todas as obrigações em relação à segurança deIsrael", disse Olmert. Olmert afirmou que os compromissos em relação à segurançaprevistos no "mapa da paz", um plano de 2003 proposto pelos EUAque pede aos palestinos que controlem os militantes e queIsrael impeça qualquer atividade nos assentamentos, se aplicamnão só à Cisjordânia, mas também à Faixa de Gaza, controladapelo Hamas. Não se sabe como o presidente palestino, Mahmoud Abbas,pode controlar a segurança na Faixa de Gaza com os islamistasdo Hamas no comando. O Hamas se opõe às negociações de paz comIsrael. Israel também não cumpriu suas obrigações segundo o mapa dapaz, incluindo a promessa de retirar dezenas de assentamentosconstruídos na Cisjordânia sem autorização do governo. Durante sua primeira visita presidencial em Israel eCisjordânia, que acabou na sexta-feira, Bush disse que osassentamentos "tem de sair". Numa reunião de gabinete, Olmertchamou os assentamentos de "uma desgraça", afirmou umparticipante que não quis ser identificado. Mas o líder israelense, embora critique a presença dosassentamentos, não disse quando vai tomar uma atitude contraeles. Ele vem sendo cauteloso para evitar confronto com oscolonos judeus e com o Yisrael Beiteinu, um aliado de direitana coalizão, que defende a causa dos colonos e cujos líderesameaçaram sair do governo por causa das negociações com Abbas. Bush, que passou três dias em Israel e na Cisjordânia antesde viajar para o Golfo, em sua visita de uma semana ao OrienteMédio, previu que Israel e os palestinos assinarão um tratadode paz antes do final de seu mandato, em janeiro de 2009.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.