Reuters
Reuters

Caixa-preta de avião iraniano foi danificada

Material será levado para análise na Rússia; testemunhas dizem que aeronave estava em chamas

16 de julho de 2009 | 05h48

Autoridades do Irã anunciaram que foram encontradas duas das três caixas-pretas do avião da Caspian Airlines que caiu no norte do país, na quarta-feira, com 168 pessoas a bordo. O principal investigador encarregado das buscas disse à rádio estatal iraniana que pelo menos uma das duas caixas estava danificada.

 

Veja também:

mais imagens Fotos: Galeria de imagens do acidente

video Imagens do local do acidente (no YouTube)

especialCronologia dos piores acidentes aéreos do mundo

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

Ainda segundo a rádio, as caixas-pretas devem ser enviadas para análise na Rússia, pela fabricante do avião - um Tupolev Tu-154 com 22 anos de uso. A força do impacto foi tão intensa que abriu uma cratera no solo e espalhou pedaços do avião em uma área de 200 metros. Os destroços da aeronave estão espalhados por uma grande área rural da província de Qazvin, a 120 km a noroeste de Teerã.

 

O Tupolev da companhia aérea iraniana Caspian Airlines, decolou do aeroporto internacional de Teerã às 11h30 (4 horas em Brasília) com destino a Erivan, capital da Armênia. Após 15 minutos no ar, o avião caiu próximo da cidade de Qazvin, a cerca de 130 quilômetros de Teerã. Segundo a BBC, testemunhas afirmam ter visto a aeronave descer "de bico", com a cauda em chamas.

 

Visualizar Acidente no Irã em um mapa maior

 

 

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, ofereceu os pêsames às famílias dos 153 passageiros e 15 tripulantes, e pediu que o Ministério do Transportes do país investigue as causas da tragédia. A maioria dos passageiros era de iranianos - apenas seis eram da Armênia e outros dois, da Geórgia. Entre as vítimas estavam dez membros da equipe iraniana de judô.

 

Segundo a Direção Geral de Aviação Civil da Armênia, o avião passou por uma revisão técnica completa há um mês. "O Tu-154M acidentado passou por uma revisão técnica completa há aproximadamente um mês no aeroporto (russo) de Mineralnye Vody. Depois da revisão, o avião recebeu a certidão para voar até 2010, inclusive", explicou a porta-voz da entidade armênia, Neli Cherchinian. Antes, o subdiretor de Aviação Civil da Armênia, Arsen Pogossian, informou que o avião cumpria com todas as exigências da Organização Internacional de Aviação Civil.

 

O Irã foi palco de diversos desastres aéreos nos últimos anos e suas companhias são conhecidas pela manutenção precária das aeronaves. Teerã responsabiliza os EUA, já que o Irã não pode comprar peças novas para os aviões americanos adquiridos antes do embargo, imposto na Revolução Islâmica, em 1979. As sanções também dificultariam a compra de peças e aeronaves na Europa.

Por causa disso, as companhias aéreas e a Aeronáutica iranianas utilizam aviões russos, principalmente os modelos Tupolev e Antonov. Dois outros Tupolevs caíram no Irã nesta década, matando 140 pessoas. O acidente de ontem foi o pior no Irã desde 2003, quando outro avião russo (um Ilyushin 76) caiu no sudoeste do país, matando as 302 pessoas que estavam a bordo.

 

Texto atualizado às 7h50.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãacidente aéreo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.