Candidato egípcio indica que manterá tratado de paz com Israel

Amr Moussa, que concorrerá à presidência do país que derrubou Mubarak, prometeu combater a corrupção

Agência Estado

08 de março de 2011 | 20h25

CAIRO - O presidente da Liga Árabe, Amr Moussa, que quer concorrer à presidência do Egito, indicou nesta terça-feira que vai manter um tratado de paz com Israel e prometeu combater a corrupção e fazer com que o país mais populoso do Oriente Médio se transforme numa democracia moderna.

Moussa, que é um conhecido diplomata de carreira e já foi ministro de Relações Exteriores, anunciou no mês passado que planeja concorrer nas eleições presidenciais do Egito no final deste ano. O ex-presidente Hosni Mubarak foi forçado a deixar o cargo no dia 11 de fevereiro depois de 18 dias de protestos populares pedindo sua renúncia.  

 

 

  Veja também:
especialInfográfico: 
A lenta agonia de Hosni Mubarak
blog Cronologia: O dia a dia da crise egípcia
video TV Estadão:  Alegria nas ruas do Cairo
blogArquivo: A Era Mubarak nas páginas do Estado
lista Perfil: 30 anos de um ditador no poder

Falando para algumas centenas de egípcios reunidos em um centro cultural, Moussa disse que vai "ouvir os jovens do Egito" e trabalhar junto com eles para tornar o país uma potência regional. À pergunta sobre o tratado de paz com Israel, ele disse que "nós egípcios temos a responsabilidade de lançar os fundamentos para a paz".

Moussa disse, no entanto, que vai possivelmente reconsiderar os termos de um controverso acordo sob o qual o Egito tem de vender a Israel 1,7 bilhão de metros cúbicos de gás por ano por 15 anos. Esse acordo tem despertado críticas internas, e há quem alegue que o gás é vendido por preços abaixo dos de mercado. Outros se ressentem com o tratamento de Israel para com os palestinos e dizem que o Egito não deve fornecer energia aos israelenses. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.