Capital líbia é abalada por tiroteios e explosões; dois mortos

Pelo menos duas pessoas foram mortas quando pesados combates irromperam perto da capital líbia, Trípoli, nesta quarta-feira, dois dias depois de homens armados terem atacado o Parlamento, em um dos momentos de maior violência desde a guerra de 2011.

AHMED ELUMAMI E FERAS BOSALUM, Reuters

21 Maio 2014 | 10h28

Moradores disseram ter ouvido fortes explosões perto do quartel de al-Yarmouk, no bairro de Salaheddin. As trocas de tiros e explosões pareceram ter arrefecido depois.

Pesados combates envolvendo baterias antiaéreas também ocorreram perto de um acampamento do Exército em Tajoura, um subúrbio do leste. "Nós estamos escutando explosões realmente muito fortes e disparos de tiros perto do acampamento, mas não sabemos quem está atirando", disse um morador de Tajoura.

Não ficou claro quem estava envolvido no mais recente episódio de violência, que matou pelo menos duas pessoas do Mali, disse uma fonte do Ministério da Saúde. Outras partes da capital pareciam estar tranquilas.

Além disso o principal comandante naval da Líbia, general Hassan Abu Shanaq, sobreviveu a uma tentativa de assassinato por parte de um desconhecido quando ia para o trabalho, disse um porta-voz da chefia do Estado-Maior.

Na cidade de Benghazi, no leste, homens armados mataram um engenheiro chinês na terça-feira, depois de o terem sequestrado em seu local de trabalho, e abandonaram o corpo, de acordo com uma fonte de segurança na cidade. O engenheiro era um dos três de uma construtora chinesa sequestrados no trabalho.

(Reportagem de Ahmed Elumami, Feras Bosalum e Ulf Laessing)

Mais conteúdo sobre:
LIBIA TRIPOLI ATAQUES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.