Carro-bomba mata candidato a chefe do Exército no Líbano

Um carro-bomba matou nesta terça-feiraum general libanês em um abastado bairro cristão perto deBeirute, afastando assim um importante candidato ao posto dechefe do Exército caso o general Michel Suleiman torne-sepresidente. O ataque piorou ainda mais as tensões no país, onde líderesrivais estão envolvidos em uma disputa sobre a Presidência, oque levou à pior crise política no Líbano desde a guerra civilde 1975-1990. O brigadeiro general François al-Hajj, chefe de operaçõesdo Exército, e diversos guarda-costas foram mortos pelaexplosão que atingiu o carro dele em Baabda, segundo umcomunicado militar. Ele é a nona vítima fatal de uma série de assassinatos quecomeçou em 2005 com a morte do ex-premiê Rafik al-Hariri. Fontes de segurança disseram que cinco pessoas foram mortase que várias ficaram feridas por um carro-bomba que explodiuquando o comboio de Hajj passava por Baabda. O subúrbio cristãoabriga o palácio presidencial e diversas embaixadas. Hajj, na faixa dos 50 anos, era visto com um dos principaiscandidatos ao posto de chefe do Exército, algo tradicionalmentedestinado a um cristão maronita. O posto ficará vago seSuleiman conseguir se eleger presidente durante uma longamenteadiada votação, marcada agora para segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.