Carros-bomba matam 12 pessoas em Bagdá e Ramadi, no Iraque

Carros-bomba mataram 12 pessoas, incluindo cinco soldados, em Bagdá e na cidade iraquiana de Ramadi, no oeste do país, neste sábado, afirmaram fontes da polícia e de serviços médicos, em ataques que se assemelham a operações de militantes do Estado Islâmico.

REUTERS

08 Novembro 2014 | 12h18

Dois carros-bomba explodiram em ataques separados em Amil, principal distrito xiita de Bagdá, afirmou uma fonte na polícia.

"Um motorista parou seu carro e foi para uma loja de cigarros, quando desapareceu. Então seu carro explodiu, matando quem estava perto", disse a fonte ao descrever um dos ataques.

O ataque de um homem-bomba a um posto de controle em Ramadi, na província de Anbar, matou cinco soldados.

"Antes da explosão, o posto de controle foi alvejado com vários ataques de morteiro. Em seguida, o veículo do homem suicida o atacou", disse um policial.

"Alguns soldados vieram ao local. Eles foram atacados por morteiros. Um confronto ocorreu durante uma hora."

Nenhum grupo assumiu responsabilidade pelos bombardeios de imediato.

Militantes do Estado Islâmico assumiram a responsabilidade no passado por ataques em Bagdá e usaram bombardeios para afastar as forças de segurança iraquianas que tentam retomar Ramadi.

Funcionários ocidentais e iraquianos dizem que ataques aéreos liderados pelos Estados Unidos não são suficientes para derrotar o ramo da Al Qaeda que detém partes do Iraque e daSíria e está lutando para expandir o que chama de um califado.

(Por Ahmed Rasheed)

Mais conteúdo sobre:
IRAQUECARROBOMBADOZE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.